4.6.07

Discrepâncias do destino


"Ah vida bandida". Assim já dizia o jovem rapaz ao parar para pensar nos feitos que o dia-a-dia o aplicava.
Era incrível como os extremos se aplicavam no cotiadiano do rapaz. No período de desemprego, o icq travava na hora H, o relógio não despertava no dia da entrevista e a mesma pedra da calçada tendia a virar lama na calça. Diariamente era lástima sobre lástima. Mas nas vacas gordas também era inversamente legal: ele chegava no ponto, o ônibus vinha, e vazio. Após contratado, recebeu 16 novas propostas de emprego, tinha um ticket diário de R$ 16,00 e ganhava seguidamente sorteios em rádios e concursos de melhor frase. Situações absurdas.
"Não ostente, não se reduza, não pense". Assim já dizia o jovem garoto ao parar para analisar os feitos que o dia-a-dia o aplicava. Tudo era incrível! Também, depois de ganhar 1.600 reais na Lotomania com 16 pontos. Ele tentava não pensar, mas amanhã é dia 16, dia banca do seu curso de graduação e ele só precisa de 1,7 na apresentação para ser aprovado.

Não pense. Não pense.

5 comentários:

nicole disse...

e cadê o meio termo?

Hum... interessante.. vc postou as 23:23

Oo


hmmmm

Belle disse...

Ok, me serve a dica. Não pensarei.

Hihi!

;*

Carol disse...

Pensar não é produtivo, melhor é viver fazendo todos os dias a mesma coisa, acordando na mesma hora, indo para o mesmo lugar e vendo sempre as mesmas pessoas!
Se vc começa a pensar não consegue mais fazer isso...hauhaua
Beijos Gabardo

jaqueline Pedroso disse...

SERÁ QUE PENSAR DA AZAR?
HAUHAUHAU...ANDO C/ SORTE :)

marie. disse...

entendi.