21.8.09

O Bom e Velho


Olhar de Criança: mundo perfeito, famílias unidas, realização sustentada por relacionamentos. Pessoas próximas se amam. Ingenuidade. Olhar de adolescente: o mundo conspira contra. A família mostra-se desatualizada, brega e fora de contexto. Os amigos são felizes. As músicas ganham distorção. Olhar de Pós-Adolescente: o amor chega, com ele a desilusão. Acompanha também: as primeiras notas de Trip Hop, o trabalho médio-remunerado, o Vale-Alimentação e a falta de convicção sobre basicamente tudo. Olhar de Adulto: trabalho remunerado, família feliz ou a decisão pela exclusão. Pessoas que se amam, poucos e amados amigos, músicas todas e as primeiras notas sobre o futuro e o passado. Olhar Sobre a Vida: saudosismo familiar. O amigo que restou e músicas da pré-adolescência entregues com afeto aos netos. Amor por animais, roupas bregas e convicção de que tudo aquilo que passou foi bonito, mesmo quando feio. Talvez o mais belo olhar de todos: o de rugas.

4 comentários:

Celso Portiolli disse...

Que beleza heim piá. Merecia uma estrelinha colada na testa como melhor redação da turma.

Suzana Flag disse...

De fato é o mais belo olhar, mas olha quanta pernada até chegar lá...

Diego Mello disse...

Só isso, será?

Luciana Pontes disse...

Hoje mesmo estava pensando o porquê de tantos adolescentes (como eu :/) pensarem só em bobagens. E não estou exagerando. Convivo com outros que são somente aquilo que falam, porque pensar, não pensam. Não gosto de dizer, e também não gosto quando me dizem, que vejo a vida como uma pessoa velha (velha legal, não chata); Somente não queria que a percepção das coisas boas da vida se restringisse aos "cansados"... Belo texto e belo blog!