6.9.06

WINE


O ENÓLOGO DO POVO
Durante uma das minhas estadas noturnas aqui no restaurante, comecei a pesquisar acerca de um assunto devéras misterioso.
Vinhos!
Muito importante para um dono de restaurante conhecer o que é "certo ou errado" para acompanhar determinados pratos e tals.
Saindo da introdução que se referia a "Processos de produção", migro para a seção das classes das uvas que derivam determinados vinhos. Como de momento, só quero saber o básicão, me aprofundo na possibilidade de diferenciar um vinho Cabernet Sauvignon de um Tinto Merlot.
De momento, estaria excelente, eu já poderia me alugar bastante com isso.
Pois bem, a diferença básica entre eles se diz em relação ao "corpo" da bebida. O Cabernet "mancha" a taça, tem uma cor mais opaca, é um vinho mais encorpado, de sabor mais "agressivo". O Merlot já é mais translúcido, é um vinho mais leve, de fácil "compreensão". Percebi aí que existiam vinhos com nível medium pra hard e outros para begginers. Ah, ambos podem acompanhar molhos vermelhos, amadeirados ou carnes vermelhas.
Segue o baile.
Dias depois, já munido deste precioso conhecimento, fui a degustação. . .Hum,nham,nham... É...
Soberbo!
Mesmo manchando a taça ele continuou azedo. Seria eu um ser desprovido de paladar? Bom, mas a carne continuava excelente, algo de errado tinha, o vinho continuava azedo.
Largo essa vida?
JAMAIS! Pensando bem, existem coisas que a formalidade da situação fazem o grande "paladar". Tudo era muito divertido. Muito legal chacoalhar a taça e ver as goticulas se desprendendo das laterais, excelente era cheirar o vinho e a roLHa. Mas veja bem, se analisarmos o contexto novamente, muitas coisas que nos rodeiam são assim, não é? Praticamente mitos. Vide PEITOS. Nham,nham..

2 comentários:

Belle disse...

Eu acho q vc precisa trabalhar mais.

yaco disse...

Peito tanto faz.