23.8.06

Código Morse


Código Morse

Tem horas que a vontade de escrever emerge.
Tem horas que escrever é preciso.
Estou num momento *cheio, devo aproveitar.
"Nos dias que eu me vejo só, são os dias que eu me encontro mais"
É, realmente esta é uma boa frase.
Mas voltando.

Quantos fatos podem ocorrer numa data somente!
E quantas datas podem se passar sem que somente um fato aconteça!
Essas coisas de "acontecimentos, passagens e etc" estão intimamente ligadas a oque nosso cérebro tem de experiências vividas, ou não. Digo isso porque uma pessoa me contou uma coisa que estou pensativo.
Ela me disse algo que pode me servir de lição pra sempre:

"O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos. Se alguém colocar você dentro de uma sala branca vazia, sem nenhuma mobília, sem portas ou janelas, sem relógio... você começará a perder noção do tempo. Por alguns dias, sua mente detectará a passagem do tempo sentindo as reações internas do seu corpo, incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sangüínea. Isso acontece porque nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento dos objetos, pessoas, sinais naturais e da repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol. Compreendido este ponto, há outra coisa que você tem que considerar: nosso cérebro é extremamente otimizado. Ele evita fazer duas vezes o mesmo trabalho."

Aí parei pra pensar, que muitas vezes estamos insconscientemente dentro de uma "sala branca". Manja?
Tipo, temos um movimento, mas não temos nada!
Mas o pior está por vir.

E quando nosso corpo percebe que está no vazio e resolve medir o tempo só com reações? E se ele resolve medir o tempo com reações advindas de respostas externas. Externas que eu digo, provindas de outros corpos.
Loucura?
Não!
Parece possível. Tudo é possível!
Resumo isso na forma de que devemos estar ligados, ou ao menos cientes da situação.
Isso para que tenhamos a capacidade de entender que, o tempo caminha em grande parte de uma forma desordenada, convém a nós determinarmos em qual velocidade vamos querer que ele navegue.
Fácil?
Não, eu mesmo não entendo.
A solução mais próxima?
Entender as reações do nosso corpo antes que uma reação "externa" influa em tudo isso! Como? Ah, não complique a história! Parece intangível! Pô,eu não entendo nem o meu estômago!

6 comentários:

Nicole disse...

Loucura?
SIM!
O cérebro humano está em constante evolução psíquica!
No passado não tínhamos stress nem pânico...
No futuro possivelmente todos terão stress/pânico/depressão...
O fim da humanidade não será guerra nuclear, nem meteoros destruindo tudo!
O homem se deixará levar a auto flagelação!

ps. Meu cérebro DDAístico (doença moderna) já me fez sguir uma linha nada ve de pensamento! Fugi do tema!
DROGA!

Sté disse...

Confesso q as vezes não entendo exatamento o q quer dizer!
Mais entendo!
E gosto!

Vc eh um bom escritor!

Beijo*

Ara disse...

S.O.S

Camila disse...

eu também não entendo o meu estômago...quem dirá minha cabeça.

tsc tsc

Camila disse...

Então, vamos aguardar anciosamente o próximo episódio !!!

yaco disse...

Esse teu momento cheio me encheu o saco mesmo.